CARTA AMIGA

MEDITAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS

CARTA AMIGA

Acordei na manhã de uma sexta-feira com um pesadelo. Encontrava-me, no ‘sonho’, numa situação aflitiva. Havia sido atacada por um assaltante, um marginal que tinha me intercetado de forma ameaçadora. Nisto, mesmo em sonho, eu clamei pelo nome de Jesus em alta voz. O assaltante, até então desrespeitoso, surpreendeu-se que eu clamava pelo nome de Jesus. Nisto, tirou um chicote e começou a chicotear-me. Nem sequer me doía, mas eu clamava cada vez mais alto pelo nome de Jesus. Nisto, tocou o meu despertador, e acabou o pesadelo. Eram seis da manhã, hora de levantar e começar o dia.

Sabemos que muitos dos nossos sonhos vem da nossa muita ocupação do nosso dia a dia, mas este não me pareceu ser como tal. Acordara um tanto perturbada com o pesadelo então orei e pedi a Deus a bênção para o dia e a sua proteção.

Não tardou muito, logo que o dia iniciou, recebi um telefonema onde a pessoa que falava comigo utiliza palavras como que um chicote contra mim. O ambiente, a atmosfera à minha volta, estava um tanto pesado. Sentia-me enfraquecida para enfrentar tal atmosfera tensa à minha frente.

Prossegui com o dia na comunhão com o Espírito Santo. Ainda que ocupada com o que estava a fazer, falava constantemente “Espírito Santo de Deus, és quem me auxilias, estás aqui comigo, vem me ajudar, sinto-me fraca, vem me fortalecer…” “Espírito Santo de Deus vem me iluminar, vem me orientar como lidar com esta situação…” “Obrigada Espírito Santo pois me fortaleces!”

Ao chegar ao escritório, novos e diferentes desafios se deparavam diante de mim, mais palavras como chicote vinham contra mim. Pude permanecer na paz de Deus e com a ajuda do Espírito Santo, na comunhão com o Espírito, apenas dizia “Obrigada Senhor, obrigada Espírito Santo estás comigo”. Lembrei-me do sonho, e de igual forma, repreendi no nome de Jesus toda e qualquer acusação que se levantava contra mim. Pude experimentar de seguida um cessar do ataque e nada do que havia sido dito contra mim sequer me havia magoado.

O dia acabou e não conseguia parar de dizer “Obrigada, obrigada, obrigada Espírito Santo de Deus que me ajudas nas minhas fraquezas”, “Obrigada, obrigada Jesus pela tua Palavra que é escudo para mim”, “Meu Pai querido, obrigada, obrigada pelo teu tão grande amor para comigo”, “Obrigada, obrigada!

Continuaremos ainda nas semanas seguintes a meditar na importância da presença e a comunhão do Espírito Santo em nossas vidas. Que Deus te ilumine e te dê a revelação da intimidade que podes ter constantemente, 24 horas por dia, com o precioso Espírito Santo de Deus, o poder de Deus manifesto e que vive em ti!

Oração: Obrigado meu Pai e meu Deus pelo teu grande amor por mim, obrigado, obrigado meu querido Jesus pelo teu sacrifício por mim, obrigado Espírito Santo de Deus que me ajudas e me fortaleces, estás comigo a todas as horas do dia ou da noite, obrigado, obrigado!

Medita na Graça de Deus – Amélia Moinheiro

FALA COM DEUS…

MEDITAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS

FALA COM DEUS…

“Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças …” 1

“Orem continuamente. 2 Fiquem vigiando e orem sempre.” 3

“Noite e dia insistimos em orar …” 4

“O que fala em outra língua a si mesmo se edifica”.5

“Orem no Espírito em todas as ocasiões”. 6

“O mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”. 7

Os discípulos pediram a Jesus que lhes ensinasse a orar. Orar é falar, conversar com Deus. Podemos e devemos conversar com Deus constantemente. Deus deseja ter um relacionamento conversacional connosco. Em todos os momentos do teu dia, podes estar a falar com Deus, a contar-lhe as tuas dificuldades, pedir-lhe ajuda nas coisas que nao entendes, a dar-lhe graças pelo seu amor, a render-lhe o teu louvor ou devoção.

Fomos ainda ensinados a orarmos sempre no Espírito, a terceira pessoa da Trindade. Quando o Espirito Santo desceu no dia de Pentecoste, eles falaram em línguas que não conheciam. Orar no Espírito, é orarmos em línguas que não conhecemos, conforme o Espírito nos dá ousadia. Ele intercede através de nós e assim somos edificados. Ele sabe melhor como orar. É a linguagem celestial.

OBSERVAÇÃO:

A natureza da Trindade permite a comunicação entre os seus membros. Vemos Jesus em constante oração com o Pai. Durante o dia ou à noite, Ele orava e falava com o Pai em todas as circunstancias, fossem de: ação de graças, em procurar a Sua vontade, em situações de perigo… enfim. Vemos ainda a sua constante ligação no Poder do Espírito Santo, sendo guiado pelo Espírito, sua dependência na revelação do Espírito Santo em todos os momentos. Jesus veio dar-nos o exemplo da nossa necessidade e dependência na Trindade , no Pai, no Filho e no Espírito Santo!

Oração: Senhor Deus, eu desejo estar em constante comunhão contigo em oração, em ação de graças. Ensina-me a depender inteiramente em Ti, a orar no Espírito. Vem me encher com o teu Espírito Santo, em nome de Jesus, Ámen.

1 I Timóteo 2:1 NVI; 2 I Tessalonicenses 5:17 NVI; 3 Lucas 21:36 NTLH; 4 I Tess. 3:10 NVI; 5 I Coríntios 14:4 RA; 6 Efésios 6:18 NVI; 7 Romanos 8:26,27 AEC

Medita na Graça de Deus – Amélia Moinheiro

PETIÇÕES EM VEZ DE LAMENTAÇÕES

MEDITAÇÕES  DA  GRAÇA  DE  DEUS

PETIÇÕES EM VEZ DE LAMENTAÇÕES

“Satisfaça o Senhor a todas as tuas petições.” Salmos 20:5

 

Tão facilmente somos levados no nosso dia a dia com nossos problemas, nossas dificuldades e passamos o dia ou até mesmo uma vida a lamentarmo-nos.  Carregamos com tantos fardos pesados, queixas, ofensas, tristezas, desapontamentos, traumas, ao ponto de desfalecermos e querermos desistir.

Quando deparamos com situações adversas, enfrentamo-las com uma lamuria ‘isto tinha que me acontecer’,  ‘ só me acontecem desgraças’.

 

Quantas vezes ‘entesouramos’ certas magoas, como se fossem algo de precioso? Trancamo-las no ‘cofre’ do nosso coração onde julgamos estarem seguras, intocáveis … e onde julgamos mais ninguém nos poderá magoar.

 

Será que quando Deus nos criou, configurou-nos de forma que o nosso corpo físico e mental fosse capaz de suportar tais traumas, níveis de stress e preocupação elevados?

 

Porque será que Jesus disse:

 

“Não andeis ansiosos por coisa alguma; mas em tudo,

 pela oração e pela súplica, com ações de graças,

sejam as vossas petições conhecidas diante de Deus.” Filipenses 4:6

 

De notar que não diz ‘sejam as vossas lamentações conhecidas diante de Deus’ mas sim petições.  Será que não temos motivos para nos lamentar? Creio que motivos nunca vão faltar, mas esse não é o lugar onde Deus nos chamou para vivermos ou expressarmos a nossa fé.  Ele quer ouvir as nossas petições a fim de satisfazer as mesmas.

 

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus”.  Filipenses 4:7

 

Unicamente a paz de Deus, que excede todo o entendimento, é capaz de guardar a nossa vida física e mental em Cristo Jesus. É esta paz, o seu Espírito em nós que nos capacita a enfrentarmos sejam quais forem os desafios e a permanecermos em paz e na sua segurança.

 

Quando fazemos conhecidas as nossas petições a Deus, estamos a pedir a Ele a sua intervenção em nossa vida, através de nossa oração, a sua direção, a manisfestação do seu poder em seja qual for a circunstancia de carência.

 

Faz a tua petição a Deus, podes seguir a oração abaixo e acrescentar aquilo que desejas que Deus faça por ti:

 

Oração:    Deus meu e Pai, eu venho a ti em nome de Jesus, eu venho fazer conhecida a minha petição diante de ti (menciona aqui o que tens no coração). Não é por meu mérito, qualquer boa obra que tenha praticado que ouves e respondes á minha oração, mas sim através do sacrifício de Jesus na Cruz por mim.  Vem pelo poder do teu Espírito Santo operar na minha vida e nesta situação, eu rendo todo o meu ser a Ti, em nome de Jesus,   Ámen.

Escrituras da Bíblia Sagrada – Edição: AA, AR, NTLH, NVI, EC

Medita na Graça de Deus – Amélia Moinheiro

UMA ORAÇÃO PARA OS CATIVOS

MEDITAÇÕES  DA  GRAÇA  DE  DEUS

UMA ORAÇÃO PARA OS CATIVOS

Salmo 143

A todos os cativos, os oprimidos, os cansados de suas constantes batalhas, faz esta oração, segundo o Salmo de Davi:

 

  1. Ó Senhor, ouve a minha oração, inclina os ouvidos ao meu clamor por misericórdia; escuta-me segundo a tua fidelidade e segundo a tua retidão.
  2. Não entres em juízo com o teu servo, pois à tua vista não se achará junto nenhum vivente.
  3. O inimigo persegue a minha alma, abate-me até o chão; faz-me habitar na escuridão, como aqueles que morreram há muito.
  4. Pelo que o meu espírito se desanima dentro em mim, o meu coração está desolado.
  5. Lembro-me dos dias antigos; medito em todos os teus feitos e considero a obra das tuas mãos.
  6. Estendo para ti as minhas mãos; a minha alma tem sede de ti como terra sedenta.
  7. Apressa-te em ouvir-me, ó Senhor; o meu espírito desfalece. Não escondas de mim a tua face, para que não me torne semelhante aos que descem à cova.
  8. Faz-me ouvir do teu constante amor pela manhã, pois em ti confio. Faze-me saber o caminho que devo seguir, pois a ti levanto a minha alma.
  9. Livra-me, ó Senhor, dos meus inimigos, pois em ti é que eu me refugio.
  10. Ensina-me a fazer a tua vontade, pois és o meu Deus; guie-me o teu bom Espírito por terra plana.
  11. Preserva-me a vida, ó Senhor, por amor do teu nome; por amor da tua retidão, tira a minha alma da angústia.
  12. Por teu constante amor, silencia os meus adversários, pois eu sou teu servo.

(Almeida Edição Contemporânea)

 

É Deus quem silencia os teus adversários, que te guia por terra plana pelo Seu bom Espírito e te ensina a fazer a sua vontade, que te livra do inimigo e do poder das trevas, e que te fará ouvir do Seu constante amor pela manhã.

Medita na Graça de Deus – Amélia Moinheiro

QUANDO ORARES, PERDOA

MEDITAÇÕES  DA  GRAÇA  DE  DEUS

QUANDO ORARES, PERDOA

“E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas”. Marcos 11:25

 

Porque será que Jesus assim nos ensinou quando orarmos, se temos alguma coisa contra alguém, devemos perdoar?  Será que é assim tão importante? Se não o fizermos, será que nos trará consequências?

 

Existem quatro ‘portas de entrada’ em nossa vida pelas quais podemos ser afectados fisicamente, mentalmente e espiritualmente, trazendo repercussões resultantes de nossas ações ou as de outros.  São elas: (1) O pecado que nós mesmos cometemos, (2) O pecado que os outros cometem contra nós (ofensas), (3) Os pecados dos nossos antepassados, (4) Experiências traumáticas ou acidentes.

 

Apenas falaremos aqui no ponto (2). Quantas vezes temos colecionado e entesourado no nosso coração certos acontecimentos negativos, mágoas, traumas resultantes também de ofensas.  Consequentemente, estas tem resultado em ansiedades, tristezas, stress, preocupações, causando doenças físicas, como úlceras, problemas cardíacos e outros; doenças mentais, entre várias, depressão.

 

É de vital importância o perdoarmos as ofensas dos outros, pois ao fazermos, deixamos de carregar em nós próprios tal ofensa, libertamo-nos de tal fardo que nos pesa, que nos coloca para baixo, ficando livres de seu conteúdo e de que fomos vítima.

 

Tens sofrido de alguma doença física, mental? Procura descobrir quando é que essa doença passou a se manifestar. Terá sido numa altura critica familiar, ou de qualquer situação conflituosa e ofensiva? Mesmo que não tenhas sofrido consequências resultantes de ofensas causadas por outros, somos instruídos por Jesus, ao orarmos, a perdoar assim como Ele nos perdoou.

 

O peso que sai de cima de nossos ombros quando perdoamos, a tranquilidade, paz e sossego que trás à nossa alma e nosso espírito, vale por tudo o perdoarmos.

Perdoar é como  um ‘desintoxicar’ daquilo que nos era ‘tóxico’.

É para o nosso próprio bem estar que o devemos fazer.

 

Perdoar não é um sentimento mas sim uma decisão. Decidimos fazê-lo unicamente porque Jesus disse para o fazermos.  Só nos é possível perdoar porque Jesus nos perdoou tambem e nós podemo-lo fazer na sua força e seu poder.

 

Uma vez os discípulos de Jesus perguntaram-lhe até quantas vezes devemos perdoar?  Até sete? Jesus respondeu:  “Não te digo que até sete, mas até setenta vezes sete”.  Mateus 18:21

 

Faz esta oração: Deus meu e Pai, tu me perdoaste através do teu Filho Jesus Cristo e eu recebi este teu perdão. Eu decido neste dia perdoar as ofensas de todos aqueles que me tem ofendido (nomeia aqui alguém ou alguma situação que te lembres). Eu escolho viver uma vida em perdão, tira todas estas mágoas, tristezas, lembranças do meu coração. Vem me libertar de todas e quaisquer circunstancias que resultaram destas ofensas. Sara-me de todas as enfermidades e doenças pelo Nome e Sangue de Jesus, Ámen.

 Oração:              …………  Ámen.

Medita na Graça de Deus – Amélia Moinheiro

SENHOR, ENSINA-NOS A ORAR

MEDITAÇÕES  DA  GRAÇA  DE  DEUS

SENHOR, ENSINA-NOS A ORAR

“Por isso, vos digo: Pedi, e vos será dado; buscai, e achareis; batei, e se abrirá a vós”. Lucas 11: 9

 

Jesus não sómente ia por todo o lado curando os enfermos, libertando os oprimidos, mas ia pregando e ensinando a palavra de Deus. Sua mensagem transformadora era transmitida com tal poder do Espírito Santo, que todos se maravilham dos seus ensinos, nunca tinham ouvido tal.

 

Seus discípulos observavam-no em tudo e vendo-o a orar a Deus Pai, um deles disse:  ‘Senhor, ensina-nos a orar’.  Lucas 11:1 Os ensinos de Jesus vieram de tal forma tão surpreendentes, tão diferentes dos costumes e tradições de muitos deles, que eles sentiram a necessidade de pedir que Ele lhes ensinasse a orar.

 

Leia em Mateus 6:1-13 a oração modelo que Jesus ensinou do ‘Pai Nosso’. Vemos neste capitulo que Jesus advertiu os discípulos a quando orassem:

  • que o não fizessem como os hipócritas em pé nas sinagogas ou nas esquinas pelas ruas para serem vistos pelos homens, antes fazerem-no em privado.
  • que não usassem de vãs repetições como os pagãos, pois Deus conhecia todas as suas necessidades mesmo antes de lhes pedirem.

 

Jesus ilustrou ainda da melhor forma como devemos orar a nível de confiança, Ele disse: “Qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra, ou se pedir peixe, lhe dará um escorpião? … Quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que o pedirem?” Lucas 11:11-13

 

Qual pai gostaria que seu filho em vez de lhe vir pedir pão, fosse pedir ao vizinho? Ou, em vez de vir pedir pão diretamente a seu pai, fosse pedir o pão na rua ou na praça pública? Que pai gostaria que seu filho lhe viesse ‘mendigar’ o pão, vindo pedir repetidamente, todo esfarrapado, sangrando,  rastejando pelo chão de joelhos suplicando?

 

Por causa desta prática ‘religiosa’ comum entre os pagãos, já nos tempos dos discípulos, Jesus teve que os ensinar como orar.  O Apóstolo Paulo, após o encontro que teve com Jesus e sua conversão, advertiu o povo de Deus dizendo:  “Cheguemo-nos, pois, com confiança ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno”. Hebreus  4:16

 

Jesus ensinou-nos a orarmos e a falarmos directamente com Deus Pai em seu nome. Não é para irmos por intermédio de alguma outra figura religiosa, mas sim diretamente ao Pai em nome de Jesus, não com repetições vãs, repetindo as mesmas orações 10 vezes, mais 5.  Fala com Deus, como um filho fala com o seu pai, abre o teu coração a Ele,  Ele te ouve e te recebe como filho pelo sacrifício que Jesus fez por ti!

 

Oração:    Senhor, ensina-me a orar.  Ensina-me a cada dia como falar contigo, a chegar junto to teu trono com confiança a fim de que eu alcance misericórdia e seja socorrido. Eu te peço que me mostres o caminho a seguir… (faz aqui o teu pedido). Eu recebo pela fé a tua provisão, a tua bênção,  em nome de Jesus,  Ámen.

 

Escrituras da Bíblia Sagrada: Almeida edição contemporânea 2a edição

Meditações da Graça de Deus – Amélia Moinheiro

 

 

Medita na Graça de Deus – Amélia Moinheiro